Descompressão do Nervo Facial

​A descompressão do nervo facial é uma operação projetada para aliviar a pressão no nervo facial à medida que ele passa do cérebro para o rosto, através de um canal ósseo rígido. Durante o procedimento, os cirurgiões fazem uma incisão atrás da orelha e na área de sustentação do cabelo acima da orelha. O osso é removido do crânio e da mastoide (osso do ouvido) para expor a área por onde passa o nervo facial, de forma que todo o trajeto do nervo facial seja identificado.  A teoria por trás da operação é que, ao desabrochar o canal ósseo e abri-lo totalmente, o nervo terá melhor suprimento de sangue, menos compressão e será capaz de se recuperar mais rapidamente. Embora não esteja totalmente claro se essa operação é definitivamente benéfica, existem alguns dados que mostram que essa operação oferece benefícios.  É mais comumente empregado em três circunstâncias: primeiro, nos primeiros 12 dias após o início da paralisia de Bell, em um subgrupo de pacientes que falham em certos tipos de testes elétricos; segundo, para pacientes que demonstram episódios repetidos de fraqueza facial em um ou ambos os lados; e terceiro, quando os pacientes sofrem traumatismo cranioencefálico e fraturas do osso temporal (osso do ouvido), onde há fraqueza facial de início imediato no momento do trauma. A controvérsia continua a cercar se essa operação faz uma diferença substancial para a recuperação geral, embora haja evidências razoáveis para sugerir que, particularmente na população com paralisia de Bell aguda, se as pessoas atenderem a critérios eletrofisiológicos muito rígidos, isso pode ajudar.