Paralisia facial após cirurgia da parótida

Tem paralisia facial?

Nós podemos ajudar.

Os pacientes podem ser submetidos a cirurgia para tumores ou condições de sua glândula parótida, uma glândula salivar localizada na bochecha.  Às vezes, essas são condições malignas, nas quais, para remover todo o tumor, um segmento do nervo facial ou todo o nervo deve ser removido. Nestes casos, há opções de reconstrução do nervo facial, seja durante a mesma operação, seja de forma tardia após o tratamento mais completo do tumor. Em outros casos, a doença benigna é removida e ocorre lesão inadvertida ou inesperada do nervo facial. Nesses casos, muito pode ser feito para reparar ou restaurar a continuidade do nervo, e o uso de uma abordagem de equipe que envolve cirurgiões de tumor e cirurgiões de nervo geralmente produzirá o melhor resultado em longo prazo. Em certas situações, onde os pacientes apresentam fraqueza facial e, em seguida, é descoberto que eles têm um tumor de parótida, a probabilidade de que o tumor tenha células cancerosas é muito maior do que se tivessem  função facial no pré-operatório.  Cada caso de tumor de parótida é um pouco diferente, e o manejo individualizado e personalizado é absolutamente essencial.  É extremamente comum que os pacientes requeiram um cirurgião de cabeça e pescoço, às vezes um otologista (cirurgião de ouvido) e um cirurgião do nervo facial (cirurgião plástico facial reconstrutivo ou cirurgião plástico) durante a mesma operação. Quando os tumores estão localizados em uma área como a glândula parótida, muitas vezes uma equipe multidisciplinar pode oferecer um atendimento melhor do que um único cirurgião.